"Faz um ano que meu pai morreu e minha mãe continua colocando o seu lugar na mesa, como se ele fosse chegar. Por outro lado, ela sabe que está viúva e sempre diz isso às pessoas. O que está acontecendo?"

Marli Viveiros, São Paulo (SP)

Mulher viúva
Imagem: static.vix.com

Ana Fraiman

A perda e o luto são processos parcialmente conscientes e inconscientes. Para algumas pessoas, o tempo para assimilar o acontecido é de meses e para outras, alguns anos. Os conflitos de sua mãe revelam um drama íntimo.

Que tende a se solucionar com as evidências da realidade. A negação da morte do outro é um processo inconsciente e persiste até que o sobrevivente possa se reorganizar dentro de um novo contexto. De certa forma, é um mecanismo auto protetor que age até que a pessoa esteja forte o suficiente para enfrentar o fato concreto e se posicionar de outra maneira.

Veja também: [Vídeo] Quem se sente mais inseguro na viuvez, o homem ou a mulher?

Fonte: Coluna VELHICE da revista CLAUDIA - Por Ana Fraiman

VELHICE - Como conviver com essa realidade
Ana Perwin Fraiman - psicóloga, com curso de aperfeiçoamento em Gerontologia Social pelo Instituto Sedes Sapientiae, SP. e pós-graduada em Psicologia Social pela USP.

 

  • Psicóloga formada pela UNIP, Mestre em Psicologia Social pela USP e doutora em Ciências Sociais pela PUC-SP.
  • Pesquisadora pelo NEF - Núcleo de Estudos do Futuro, com foco no Ecossociodesenvolvimento | Cátedra Ignacy Sachs, alinhada ao United Nations Millennium Project.
  • Coaching de Carreira e Preparo para uma Aposentadoria Sustentável.

Deixe uma resposta