"Durante o dia tenho várias atividades em minha casa, mas a noite sofro com a solidão. Vejo sombras, às vezes nem consigo dormir. Estou muito assustada. Tenho 63 anos e preciso de um novo impulso para viver. "

Esther, Tijuca (RJ)

Solidão

Saiba, Ester, que solidão e isolamento são coisas bem diferentes, embora caminhem juntas. Solidão e um estado emocional marcado pela carência de relacionamentos afetivos importantes e calorosos. Já o isolamento diz respeito a falta de contatos com pessoas diferente.

Um isolamento prolongado aumenta a possibilidade de que as pessoas sintam solidão, que é o que está acontecendo com você. Um primeiro passo para vencer essa situação é entrar em contato com grupos de convivência. No Rio existem vários: o do SESC, da ACM, da LBA e o Grupo da segunda Juventude, entre outros. Esses grupos oferecem lazer, educação, atividades físicas, passeios, música, bailes etc., além de contatos com outras pessoas, que é justamente o que você precisa. A solidão se cura com o calor humano e não à custa de medicação.

Fonte: Coluna VELHICE da revista CLAUDIA - Por Ana Fraiman

VELHICE - Como conviver com essa realidade
Ana Perwin Fraiman - psicóloga, com curso de aperfeiçoamento em Gerontologia Social pelo Instituto Sedes Sapientiae, SP. e pós-graduada em Psicologia Social pela USP.

 

  • Psicóloga formada pela UNIP, Mestre em Psicologia Social pela USP e doutora em Ciências Sociais pela PUC-SP.
  • Pesquisadora pelo NEF - Núcleo de Estudos do Futuro, com foco no Ecossociodesenvolvimento | Cátedra Ignacy Sachs, alinhada ao United Nations Millennium Project.
  • Coaching de Carreira e Preparo para uma Aposentadoria Sustentável.

Deixe uma resposta