"Minha mãe, com 68 anos (acho-a moça, ainda), tem um grave problema de saúde (insuficiência cardíaca), e não consigo fazê-la seguir uma vida moderada: alimentação, exercício, repouso, como o médico prescreveu. O que você me sugere?"

Pergunta de Daisy de Andrade, Santos (SP)

Ana Fraiman

Ainda que isso provoque muita angústia nos filhos, os pais idosos preferem mesmo manter os seus hábitos do que enfrentar uma vida de privações. Alguns não querem este prolongamento da existência, se isto representar uma grande perda daquilo que eles consideram importante como qualidade de vida.

No entanto, como nesse caso estão envolvidos sérios riscos, não perca tempo e procure orientação especializada para ambas, a fim de que vocês possam dialogar e exprimir seus afetos e receios. Lembre-se de que sua mãe não quer que se assuma o controle sobre a vida dela, mas provavelmente aceitará ser compreendida, valorizada e respeitada. Este enfoque pode mudar muita coisa, talvez levando-a a cuidar-se melhor, sabendo-se amada e não criticada.

Fonte: Coluna VELHICE da revista CLAUDIA - Por Ana Fraiman | Outubro/1984

VELHICE - Como conviver com essa realidade
Ana Perwin Fraiman - psicóloga, com curso de aperfeiçoamento em Gerontologia Social pelo Instituto Sedes Sapientiae, SP. e pós-graduada em Psicologia Social pela USP.

 

Deixe uma resposta