Envelhecer é inevitável e natural, porém o modo como envelhecemos depende dos nossos bons, ou maus hábitos.

Você já se perguntou porque algumas pessoas têm uma aparência bem mais jovem do que outras? É natural, também, que se deseje prolongar máximo o tempo da juventude. E sem recorrer a cirurgias plásticas!
Será que isso é possível? Claro que é: o segredo está nos hábitos que desenvolvemos. Além do que, hábitos que não nos favorecem podem e devem ser mudados.
A seguir, meia dúzia deles, para você verificar o que pode levá-lo a ter uma aparência bem mais envelhecida do que seus anos de idade. Evite os erros.

APELAR PARA O ÁLCOOL PARA RESOLVER PROBLEMAS

Você já deve ter ouvido falar dos benefícios de um copo de vinho tinto por dia. Mas beber uma garrafa inteira é outra coisa. Aprenda a encarar seus problemas como deve, em vez de negar-se a oportunidade de se tratar e, recuperando seu equilíbrio e autoestima, não só resolver suas dificuldades, mas cuidar melhor da sua pessoa.

Além disso, quem bebe não é agradável a ninguém. Com certeza você colocará seu cônjuge e filhos em situações constrangedoras. Quem bebe além da conta não tem a noção de tornar-se ‘sem noção’, quando está alterado. O consumo abusivo de bebidas alcoólicas causa efeitos altamente negativos na sua saúde geral. O álcool engorda, porque faz com que o metabolismo fique mais lento e afeta, também, o seu desempenho sexual.

Experimente escrever seus problemas, suas angústias numa folha de papel. Ou no computador. Marque uma consulta com seu clínico e converse abertamente. As pessoas que bebem além da conta podem até envelhecer. Mas não terão um fim de vida bom. Procurar soluções feito ‘gente grande’, além de ser uma atitude mais sadia, sai mais em conta.

CEDER ÀS TENTAÇÕES DOS DOCES

É muito fácil cair na tentação das deliciosas sobremesas. Mas se você quer manter a linha, você precisa controlar rigorosamente o seu consumo de doces e de gorduras. Em geral, eles andam juntos. Não é que o diabetes Tipo 2 seja ‘uma doença da idade’. É que, com o passar dos anos, o excesso de açúcar e de gorduras trans cobram ‘pedágio’.

O corpo já está descompensado. Metabolismo alterado. As enfermidades cardiovasculares se instalam e, desgraçadamente, o problema não é ter ou não ter plano de saúde. É precisar abrir mão de uma larga porção de felicidade, de qualidade de vida e passar a envelhecer doentiamente.

Você ficará dependente, deprimido e fragilizado. Morrer antes do tempo não vai resolver. A questão é ir sendo cortado, perdendo pedaços, acamado, desvitalizado. Você não jogará fora toda sua saúde de uma vez. Você irá entregando partes de você mesmo e, perceber, estará velho, indisposto e irascível, que ficar doente de cama, é o menor dos males que irá lhe acontecer.

Doenças de longo prazo custam muito caro. Doente, pobre, chato e mal humorado?! O excesso de açúcar refinado e das gorduras saturadas fará você enveredar por este caminho.

DEIXAR DE PRIORIZAR A SUA VIDA ÍNTIMA E SUA SEXUALIDADE

Além de fortalecer o relacionamento, o contato sexual traz muitos outros benefícios para a saúde geral. O sexo é natural. Claro, na velhice passa a ser diferente, como tudo o mais. Adquire novos matizes, mas o prazer não muda.

A frequência se altera para menos. O desejo também diminui. Prefere-se qualidade à quantidade. Daí que, a criatividade e a sensualidade farão mais por você do que antes. Sexo mecânico não sobrevive. O mesmo se você estiver infeliz ou deprimido.

Por isso mesmo, dedique uma boa parte do seu tempo de convivência a ser gentil com a sua parceira, com o seu parceiro. Dúvidas? Consulte os especialistas. Mas não abra mão do que for importante para você. A sexualidade amorosa ajuda a ‘diminuir o tamanho dos problemas’, abaixa os níveis de estresse e fortalece o sistema imunológico.

As carícias são muito importantes. Na verdade, são fundamentais. Se além delas, dos abraços e dos afagos, rolar algo mais, maravilha. Caso não os conduza ao sexo, vale o estar junto, sentir que tem com quem contar e que essa pessoa lhe ama, tanto quanto você a ela.

SER ANTISSOCIAL

Pode ser que você adore o seu trabalho. Mas que, também, esteja viciado nele! Dupla jornada, acúmulo de tarefas em casa e no trabalho excessivo acabam por nos privar da vida social. De vez em quando, passe um bom tempo com os amigos.

Se você, propriamente dito, não tem amigos pessoais, porque não é dado a cultivá-los, ao menos aproveite os amigos que sua esposa, seu irmão, outros familiares trazem para casa. Esteja com eles. Tente participar das conversas e atendê-los bem.

Estar com amigos é uma das melhores formas de relaxar. Caso se arrisque a convidar, organize o ambiente, sirva um lanche. Muita gente negligencia a sociabilidade e, depois, acaba profundamente só, em momentos importantes.

Tanto para os momentos alegres, como para os tristes e mais difíceis, não é só a gente que precisa de amigos. Eles também precisam de nós.

NÃO PERDOAR E NÃO SE PERDOAR

Guardar rancor é uma tremenda perda de tempo. Quando não perdoamos, o que acontece é que colocamos mais pressão ainda sobre nós mesmos. Isso leva, inclusive a distúrbios digestivos, pressão alta e a crises de ansiedade. Por vezes, até leva à depressão.

Além de ser perda de tempo, a ausência do perdão nos acorrenta ao passado. Isso trava tudo. Ainda que aquilo que o outro tenha feito de mal a você ou a alguém próximo – há muita gente ruim neste mundo, mesmo – num primeiro momento seja impossível de perdoar, conte com a ação do tempo.

Será até melhor se você pensar que, sim, hoje você sente muito ódio, muito rancor, muita dor pelo acontecido. Mas que terá um dia em que tudo isso terá ficado no passado e que você haverá de sorrir.

Alguma coisa você terá aprendido, que lhe trará boas recompensas. Terá aprendido a se cuidar melhor, a tratar as pessoas com mais consideração e a reconhecer a ‘cara do mal’, que muitas vezes aparece com aqueles que nos seduzem, que nos enganam com bons modos, mas que são terríveis predadores.

Coisas ruins também acontecem com pessoas boas. Não há como prever, evitar ou controlar tudo. Se não conseguir de todo perdoar o mau feito, coloque-o em mãos dos mais sábios e experientes. Há quem coloque nas mãos de Deus. Há quem procure a justiça dos homens. Há quem desperte em si o amor incondicional e passe a ser, inclusive, mais atento às intuições.

No fundo, no fundo, quando conhecemos e nos envolvemos com uma pessoa má, alguma coisa nos dizia que não seria a pessoa certa para a gente. Seja para casar, seja para fazermos negócios. Pessoas más exalam um odor que não nos é consciente. Mas os cachorros sentem! Se o seu cachorro ficar raivoso perante alguém, desconfie da pessoa. Não do seu cachorro.

Perdoar não é se dispor a conviver com as pessoas más. É deixar fluir e desapegar-se das suas dores. É, principalmente, perdoar-se por não ter conseguido evitar o que aconteceu. E agradecer pelo que se aprendeu.

Isso também se aplica a nós mesmos. Somos capazes de nos tratar muito mal, de nos colocar em altos riscos, de cometermos verdadeiros crimes contra a nossa honra, integridade e saúde em geral. Fez isso? Trata-se e faça diferente. Seja compreensivo e carinho para consigo. Suspenda o julgamento, o martírio e seja seu melhor amigo, alguém com quem você pode contar.

Cometemos muitas maldades para conosco, quando entramos em desespero. Perdoe-se. Seja lá o que você tenha feito. Mude agora e viva com felicidade, sinta orgulho de si por ter vencido tantas das suas dificuldades.

CARÊNCIA DE SONHOS

Há dois tipos de sonho, pelo menos. Um é aquele que sonhamos dormindo. Outro, aquilo que sonhamos quando acordados.

De noite, os adultos precisam dormir – em média – de 7 a 9 horas por dia. Quando se dorme o suficiente, o corpo produz o hormônio Melatonina, que repara as células e o próprio ADN.

A harmonia psicofísica se recupera durante o sono. Tanto porque o corpo relaxa, como porque a mente trabalha ativa, porém mansamente, na busca de soluções mais profundas, através dos sonhos, dos quais por vezes nos lembramos, por vezes não.

Liberamos, também, o hormônio do crescimento, que na idade adulta é o responsável pelo tônus muscular e pela vitalidade. Daí que o sono nos traz uma série imensa de benefício e sua falta, quando recorrente, causa sérios efeitos negativos. Além disso, altera o metabolismo e despertará a vontade de consumir alimentos ricos em calorias e você vai ‘assaltar a geladeira’ no meio da noite.

Já os sonhos acordados, alimentam o espírito. Nos trazem ânimo, fazem-nos sorrir à toa e a querermos nos superar. Não como uma luta a travar, mas como mais uma realização pessoal a conquistar.

  • Psicóloga formada pela UNIP, Mestre em Psicologia Social pela USP e doutora em Ciências Sociais pela PUC-SP.
  • Pesquisadora pelo NEF - Núcleo de Estudos do Futuro, com foco no Ecossociodesenvolvimento | Cátedra Ignacy Sachs, alinhada ao United Nations Millennium Project.
  • Coaching de Carreira e Preparo para uma Aposentadoria Sustentável.

Deixe uma resposta