Pessoas idosas têm muitas manias que funcionam com uma defesa para algum tipo de conflito.

Manias dos idosos
Imagem: Pixabay

Moralismo excessivo: dá ao velho certa segurança, ele se sente poderoso externando tudo o que sabe, o que aprendeu, etc.

Mania de ordem: é uma forma de colocar ordem externa quando a interna não existe ou está perturbada.

Não permitir que toquem em suas coisas: pode não ser uma mania só de velho. Mas agindo assim é a única forma que o velho tem de preservar o seu “espeço pessoal”. Ele atribui valores e significados aos objetos dele e se sente invadido quando alguém mexe neles.

De dar conselhos: é uma autoafirmação, é a disputa pelo poder.

Só sair de chapéu, sentar-se sempre em uma determinada cadeira, andar sempre com a mesma bolsa ou com o mesmo xale. Tudo isso pode ter um significado profundo para o velho, tudo é uma extensão dele mesmo e que revalida a identidade da pessoa. Exemplo: o viúvo que vai morar com a filha. De repente, ele pode ter os melhores lençóis, mas ele não gosta daqueles, ele tem uma comida que ele não quer, servida em pratos que ele não aprecia. Tudo isso ameaça a sua integridade, daí ele elege um objeto no qual ninguém pode mexer, que ele acha ruim. A família precisa compreender esse aspecto, usufruir com ele desses gostos e considerar a sua opinião, seja ela qual for, sem dar palpites.

Gostou deste texto? Inscreva-se no Canal Ana Fraiman no Youtube para não perder nossos conteúdos em vídeo: 

 
  • Psicóloga formada pela UNIP, Mestre em Psicologia Social pela USP e doutora em Ciências Sociais pela PUC-SP.
  • Pesquisadora pelo NEF - Núcleo de Estudos do Futuro, com foco no Ecossociodesenvolvimento | Cátedra Ignacy Sachs, alinhada ao United Nations Millennium Project.
  • Coaching de Carreira e Preparo para uma Aposentadoria Sustentável.

Deixe uma resposta