Apresentamos a seguir uma seleção de dicas e sugestões para aqueles que passaram das suas bem-vividas 60 primaveras. Aplicam-se, também, àqueles quem ainda não chegaram lá e pensam no futuro, em querer vivê-lo o mais plenamente possível. Algumas você já sabe, outras podem lhe surpreender. Enfim, leia, reflita, coloque em prática o que lhe convém!

Maiores de 60 Anos

1. É hora de usar o dinheiro (pouco ou muito) que você conseguiu economizar. Use-o para você, não para guardá-lo. Não o desfrute com aqueles que não têm a menor noção do sacrifício que você fez para consegui-lo. Geralmente alguns parentes, mesmo que distantes, têm ótimas ideias sobre como aplicar o seu suado dinheiro. Lembre-se que não há nada mais perigoso do que ‘um parente com ideias’. Atenção: não é época de fazer investimentos grandiosos. Eles acabam trazendo problemas e agora é hora de focar na sua paz e tranquilidade.

Leia também:

Idosos Órfãos de Filhos Vivos – Os novos desvalidos

2. Pare de se preocupar com a situação financeira dos seus filhos e netos. Não se sinta culpado por gastar o dinheiro consigo mesmo. Você provavelmente já ofereceu o que foi possível na infância e juventude, como uma boa educação. Agora a responsabilidade é deles.

3. Não é mais época de sustentar pessoas de sua família. Estamos nos referindo aos "folgados", evidentemente. Seja um pouco egoísta, mas não avarento. Tenha uma vida saudável, sem grande esforço físico. Faça ginástica moderada (como caminhar ou nadar, regularmente) e se alimente bem e corretamente.

4. Compre sempre o melhor e mais bonito. Lembre-se de que, neste momento, um objetivo fundamental é o de gastar dinheiro com você mesmo, com seus gostos e caprichos, bem como os do seu parceiro ou parceira. Após a morte, o dinheiro só gera ódio e ressentimento. Na verdade, traz à tona rivalidades e ressentimentos de muito tempo atrás, que não foram superados.

5. Nada de se angustiar com pouca coisa. Na vida tudo passa, sejam os bons momentos para serem lembrados, sejam os maus, que devem rapidamente ser esquecidos. Há momentos, sim, em que sentimos muita angústia, mas não a alimente. Fará mal para a sua saúde geral, física e mental.

6. Independente da idade, sempre mantenha vivo o amor. Ame o seu parceiro, sua parceira. Ame a vida. Ame seu pet. Ame o seu próximo... E lembre-se: "Um homem nunca é velho enquanto lhe resta a inteligência e o afeto".

7. Cuide da sua aparência. Frequente o cabeleireiro ou o barbeiro, faça as unhas, vá ao dermatologista, dentista e use bons perfumes e cremes com moderação. Porque se agora você não é bonito, é, pelo menos, bem conservado.

8. Acompanhe as tendências da moda, adaptando-as ao seu físico e a sua idade. Há pouca coisa mais patética do que uma pessoa de meia-idade com penteados e roupas feitas para gente jovem e sarada.

9. Sempre se mantenha atualizado. Leia livros e jornais, ouça rádio, assista bons programas na TV, visite a internet com alguma frequência, envie e responda os seus e-mails e use as redes sociais, mas sem estresse e sem se viciar nelas. Visite os amigos e receba-os, também.

10. Respeite a opinião dos jovens. Muitos deles estão melhor preparados para a vida do que você imagina. Tal como nós, quando tínhamos a idade deles.

11. Nunca use o termo "no meu tempo". Seu tempo é agora, não se confunda. Pode lembrar do passado, mas com saudade moderada e feliz por ter vivido. O passado é longo e distante. Já, o futuro, está mais perto do que você pensa.

12. Não caia na tentação de morar com seus filhos ou netos. Apesar de, ocasionalmente visitá-los por alguns dias como hóspede, respeite a privacidade deles, mas especialmente a sua. Se você perdeu o seu parceiro, sua parceira, consiga uma pessoa para ajudar com as tarefas domésticas e que possa dormir na sua casa. Tome esta decisão, porém, somente quando não mais puder cuidar de si por conta própria. Seja humilde para reconhecer isso.

13. Pode ser muito divertido conviver com pessoas de sua idade. E o mais importante, não vai funcionar com qualquer um e, sim, se você se reunir com pessoas positivas e alegres, nunca com "velhos amargos".

14. Mantenha um hobby. Você pode viajar, caminhar, cozinhar, ler, dançar, cuidar de um gato, de um cachorro, cuidar de plantas, jogar cartas, damas, xadrez, dominó, golfe, navegar na internet, pintar, fazer trabalho voluntário em uma ONG ou colecionar alguma coisa. Faça o que você gosta e o que seus recursos permitem.

15. Aceite convites. Batizados, formaturas, aniversários, casamentos, conferências. Visite museus, vá para o campo. O importante é sair de casa por um tempo e sentir vontade de retornar para o seu cantinho. Não se chateie quando não lhe convidarem. Certamente, quando você era jovem também não convidava seus pais e tios para tudo.

16. Fale pouco e ouça mais. Sua vida e seu passado só importam para você mesmo. Se alguém lhe perguntar sobre esses assuntos, seja breve e tente falar sobre coisas boas e agradáveis. Jamais se lamente de nada. Fale em um tom baixo, cortês. Não critique ou se queixe de tudo. Aceite situações e pessoas assim como elas são. Tudo está aqui de passagem e por tempo limitado.

17. Dores e desconfortos sempre surgirão. Não os torne mais problemáticos do que são. Tente minimizá-los e, não transformá-los no principal assunto da sua conversa. Afinal, eles só afetam a você. São, portanto, problemas seus e do seu médico. Lamentações não agregam, nem servem. Para nada.

18. Se você sofreu alguma ofensa por alguém, perdoe. Se você ofendeu alguém, peça perdão. Não arraste ressentimentos pela vida. Eles só servem para encher seu coração de amargor e tristeza. Guardá-los é como tomar veneno esperando que faça efeito em outra pessoa. Não se deixe envenenar.

19. Se você tem uma crença ou pratica uma religião, conserve-a. Se você tem suas crenças, não as imponha a outros. Viva a sua fé intensamente, mas com discrição.

20. Ria-se muito, ria-se de tudo. Você tem muita sorte. Já se pode dizer que tem uma vida longa e a morte só será uma nova etapa. A morte é uma etapa desconhecida, assim como foi incerta toda a sua vida.

21. Não faça caso do que dizem a seu respeito e, menos ainda, do que pensam de você. Se alguém lhe diz que agora você não faz nada de importante, não se preocupe. A coisa mais importante já está feita: você e sua história, boa ou ruim. Sua história foi e ainda está sendo escrita. Agora, é o momento de descansar, ficar em paz e ser tão feliz quanto for possível.

Por último, mas não por fim, lembre: "A vida é muito curta para beber vinho ruim!"

Fonte: Desconhecida.

  • Psicóloga formada pela UNIP, Mestre em Psicologia Social pela USP e doutora em Ciências Sociais pela PUC-SP.
  • Pesquisadora pelo NEF - Núcleo de Estudos do Futuro, com foco no Ecossociodesenvolvimento | Cátedra Ignacy Sachs, alinhada ao United Nations Millennium Project.
  • Coaching de Carreira e Preparo para uma Aposentadoria Sustentável.

62 Comments

  1. Obrigada pela lição de vida, sempre pensei assim porque tenho visto noticia de abandono de parentes enquanto se apoderam de sua aposentadoria e até os expulsam de casa pra mostrar poder a sua futura companheira.

  2. Achei interessante tudo menos o item 8. Acho que se a pessoa quer se sentir mais jovem vestindo uma roupa mais jovem qual o problema? Principalmente os homens, não há muita moda pra eles. Me pareceu desanimador ler esse item.

  3. Mensagem muito importante, lguns ítens já acrescentei em minha vida, mas como fiquei viuva muito novinha tive que arcar com meus filhos com tudo que necessivam, principalmente com a educação. Fui uma empresária muito bem sucedida e até hoje eles moram comigo, porém nao sei dividir muito bem eu e eles. Tudo que faço primeiro eles. Mas sou feliz assim. Tentarei completar minha vida com os conselhos a mais exposto aqui Obrigada

  4. Ótimas ideias, adorei….maioria delas sigo a risca. Cheguei aos 60 anos e pretendo curtir muito a vida que é feita de momentos. Aposentado, minha vida a dois cheia de amor. Fé em Deus e vamos curtir a vida. Abraços e beijos a todos. Luiz e Vera.

  5. É uma ‘gama’ de dicas bem variada. Algumas eu já adotei como regras para ‘bem viver’. Sou muito grata por esta postagem ter chegado à minha página.
    Boa noite!

  6. Ótimos conselhos, para a simpática senhora da foto e seu companheiro, mas para uma pessoa de 62 anos, com um filho de 4 anos, iniciando um novo negócio em um ramo bem diferente do que trabalhava, que requer pegar uma estrada 1 vez por semana, bem, talvez uma parte desses conselhos possam ser absorvidos, os outros vão ter que esperar mais alguns anos.

  7. tenho 73 anos; conheci o trabalho desde q me conheci; escola rural das 7 as11; das 11 até o por do sol lavoura = arroz, feijão, milho, amendoim, cafezal, cana de açúcar; acreditem, estou muito feliz, em ver estas dicas maravilhosas; e acredito que mais de 90 por cento eu as coloquei em pratica 8 filhos, todos independentes; eu aposentado a mais de 20 anos; espero, que os meus filhos e milhões de pessoas curtem estas dicas.

  8. Essas recomendações são ótimas, mas acredito que muitas delas devem ser utilizadas pelos mais jovens também , principalmente, pelos sem noção e os chatos.

  9. Gostei muito e isso para nos livrar de culpas que carregamos desnecessariamente. Concordo com vc. Agora e a noss hora e a nossa vez. Vivamos o hoje intensamente e não esqueçamos que merecemos o melhor vinho.

  10. Excepcional visão da” aventura chamada vida”.
    Procuro praticar algumas dessas observações e tem uma que é muito minha e que uso regularmente – digo para as pessoas de quem gosto e tenho admiração que “eu te gosto”.
    E quando alguém diz que Angélica Zapata é um vinho caro eu respondo que caro é o meu paladar.
    A propósito Themis tu sabes que sempre te admirei e gosto muito.
    Forte abraço.
    Em tempo – o querido Hilbert concorda comigo!

  11. Que felicidade reencontra-la, Ana.
    Principalmente agora, qdo a idosa sou eu e não meu pai Paulo Gonzaga de Arruda.
    Sempre serei agradecida por tudo que fez por ele. Seu atendimento, a Maria da Loudes indicada por vc, o Hico fisioterapeuta e a orientação às filhas dele, uma das quais sou eu.
    Com saudades
    Maria Tereza braga de Arruda

  12. Pois é, setenta chegando e penso que poucas coisas são tão importantes quanto procurar um sentido a vida; tudo bem cuidar de um pet ou sei lá, usar boas coisas, se cuidar… mas parece que isso indica que o caminho ao fim apenas está sendo bem ameno. E se usar nossa energia em procurar profundamente um sentido a vida? tal vez não ache.. ok, mas pelo menos ajuda a afastar o Alzheimer e outros males e se achar algo que possa trazer a tão procurada paz verdadeira que na vida poucos acham. Bom é uma ideia.. Abraços!

  13. Excelente conselhos para viver bem, Parabéns a psicóloga Ana Fraimam. Grata pelas dicas. Doroty apaixonada pela vida! Quero segui-la. Bjs

Deixe uma resposta