Pensamentos Idosos

"Minhas experiências e meus saberes. Guardei bem guardado em cada envelope lacrado, dentro de pastas dentro de gavetas dentro de armários mil. E guardei tudo tão bem guardado que agora não os acho mais. Cheguei à idade do e eu lá sei? Joguei minhas culpas fora junto com as chaves que trancafiavam meus segredos. Quem se interessaria por eles? Nem eu. Ditoso quase fim do fim."

Pensamentos Idosos
Imagem: Pixabay

Continue lendo

O Monge e o Sorvete de Chocolate

Fico ansiosa e, muitas vezes, aflita. Nessas horas é mais difícil me concentrar em vencer 'meus demônios' que teimam em me machucar. Mas eu sei que posso, se não vencê-los, ao menos acalmar suas imagens e vozes ameaçadoras, que ocupam minha mente, boba mente, com imagens terroríficas de futuro e sons cavernosas de maldição.

Só que eu sei que dá-se um jeito. Que não preciso - e não devo - cultivar essas assombrações de teimosia, da minha mente ainda teimosa, que deseja resolver já, aquilo pelo qual é preciso ainda aguardar.

O ano de 2017 bate à porta e faço-lhes um singelo convite: leiam - e releiam - este Conto de Max Pastor. Vamos meditar por um Ano Pleno e Próspero, fazendo surgir do fundo do nosso coração, votos sinceros e amorosos para que todos, todos, todos - no mundo inteiro - sejam abençoados. inclusive cada um de nós, claro! Rsrsrs

Feliz Natal e Próspero Ano Novo.

O MONGE E O SORVETE DE CHOCOLATE

Conto escrito por Max Pastor

Joel havia chegado já fazia três anos a uma das comunidades budistas mais antigas do Tibete e ali almejava ser treinado para se transformar em um monge exemplar.

Todos os dias, à hora do jantar, perguntava ao seu mestre se no dia seguinte aconteceria a cerimônia da sua ordenação. - “Você ainda não está pronto, primeiro precisa trabalhar a humildade e dominar o seu ego”, respondia o seu mentor.

Ego? O jovem não entendia por que o mestre se referia a seu ego. Achava que merecia ascender no seu caminho espiritual, já que meditava sem cessar e lia diariamente os ensinamentos de Buda.

Um dia, o mestre imaginou um jeito de demonstrar aos seus discípulos que eles ainda não estavam prontos. Antes de iniciar a sessão de meditação anunciou: - “Quem meditar melhor terá como prêmio um sorvete. De chocolate”, acrescentou o ancião.

Sorvete de Chocolate

Logo após um breve alvoroço, os jovens da comunidade começaram a meditar. Joel queria ser o melhor a meditar dentre todos os seus colegas. Dessa forma, mostrarei ao mestre que estou preparado para a cerimônia. E poderei tomar o sorvete, concluiu.

Vela

Conseguiu se concentrar na sua respiração, mas ao mesmo tempo visualizava um grande sorvete de chocolate que ia e vinha como se estivesse em um balanço. Não é possível, preciso parar de pensar no sorvete ou outra pessoa vai ganhá-lo, repetia para si mesmo.

Com muito esforço, conseguia meditar por alguns minutos nos quais simplesmente seguia o compasso de sua respiração, mas logo imaginava um dos monges tomando o sorvete. Droga! Eu é que vou conseguir! Se martirizava.

Quando a sessão acabou, o mestre explicou que todos tinham feito bem a tarefa, exceto alguém que havia pensado demais no sorvete, isto é, no futuro. Joel deu um pulo, mas logo se recompôs antes de falar: - “Mestre, eu pensei no sorvete. Eu admito. Mas como você pode saber que fui eu quem pensou demais?”

O ego se revela

– “Não tenho como saber. Mas posso ver que você se sentiu tão afetado a ponto de se levantar e tentar se colocar por cima dos seus colegas. Querido Joel, assim é que age o ego: sente-se atacado, questionado, ofendido e sempre quer ter razão no jogo de ser superior aos outros”.

Naquele dia, Joel se deu conta de que ainda teria um longo caminho a percorrer. Trabalhou sua humildade e os impulsos de seu ego. Viveu no presente e procurou não julgar, nem jogar o jogo Quem é melhor do que quem. Também entendeu que não lhe convinha se identificar com suas conquistas.

Assim, com trabalho e muita paciência, chegou O Grande Dia: aquele no qual o mestre bateu à sua porta para lhe anunciar que, finalmente, estava preparado para aquilo que tanto havia almejado.

Quando entrou no templo não encontrou ninguém ali. Apenas uma pequena plataforma e sobre ela: um sorvete de chocolate! Muito feliz e agradecido, Joel apreciou seu sorvete de palito e nem se sentiu decepcionado. E em seguida, foi ordenado monge.

Menino budista tomando sorvete

Cada pessoa tem o seu próprio sorvete de chocolate: aquilo que almeja alcançar. O nosso problema está em ter a mente posta tão somente na meta a ser atingida, nos impedindo de viver o presente.

Inscreva-se no Canal Ana Fraiman no Youtube para não perder nossos conteúdos em vídeo: 

 
  • Psicóloga formada pela UNIP, Mestre em Psicologia Social pela USP e doutora em Ciências Sociais pela PUC-SP.
  • Pesquisadora pelo NEF - Núcleo de Estudos do Futuro, com foco no Ecossociodesenvolvimento | Cátedra Ignacy Sachs, alinhada ao United Nations Millennium Project.
  • Coaching de Carreira e Preparo para uma Aposentadoria Sustentável.

Luto no natal

Papai faleceu há poucos meses e mamãe ficou muito triste. Ela já está velhinha, mas tem boa saúde. Estamos em dúvida se devemos comemorar este Natal como sempre. Ela não irá se emocionar demais?

Ana Lúcia D’Aqua, Rio de Janeiro (RJ)

Luto no natal
Imagem: vozesdapaz.com.br

Ana Fraiman

Trazer o Pai de volta, Ana, é impossível. Então façam o possível para garantir à sua mãe o aconchego familiar. Por que privá-la desta festa num momento em que ela já está tão sozinha? Este Natal será diferente não só para ela, mas para todos vocês. Aproveitem a data para a confraternização e celebrem a vida, como sugere a mensagem natalina.

Fonte: Coluna VELHICE da revista CLAUDIA (Década de 80) - Por Ana Fraiman

VELHICE - Como conviver com essa realidade
Ana Perwin Fraiman - psicóloga, com curso de aperfeiçoamento em Gerontologia Social pelo Instituto Sedes Sapientiae, SP. e pós-graduada em Psicologia Social pela USP.

 

  • Psicóloga formada pela UNIP, Mestre em Psicologia Social pela USP e doutora em Ciências Sociais pela PUC-SP.
  • Pesquisadora pelo NEF - Núcleo de Estudos do Futuro, com foco no Ecossociodesenvolvimento | Cátedra Ignacy Sachs, alinhada ao United Nations Millennium Project.
  • Coaching de Carreira e Preparo para uma Aposentadoria Sustentável.

Tremores da idade

Tremores da idade

Texto retirado do artigo original (Velhice - Da emoção das telas às lições que nós ensinamos a você) publicado originalmente na revista Claudia, edição de  Julho/82. Reportagem de Neide Martins.

Tremores da Idade
Imagem: Pixabay

Ocorrem por um estado de saúde comprometido num organismo mais desgastado, com menos tonicidade onde as articulações não respondem já completamente. Então, a caligrafia pode ser trêmula por um problema de motricidade fina. A voz pode tornar-se trêmula por um problema respiratório. O andar pode ser oscilante por alterações da propriocepção (a sensibilidade dos nossos órgãos internos quando há debilitação por envelhecimento. Isto faz perder uma parte da sensibilidade de tal forma que, ao segurar um copo de água, o velho tende a enrijecer a musculatura para dar mais força e não deixar o objeto cair ocasionando um leve tremor).

Continue lendo

Lições para um envelhecimento feliz

Estudos recentes comprovam que realmente, na velhice, há uma mudança de personalidade. Essa mudança é tratada pela geriatria moderna através de várias técnicas de atendimento, atividades sociais, culturais e recreativas, além de tratamentos especiais que ajudam nossos velhos a envelhecerem com mais saúde e dignidade.

Texto retirado do artigo original (Velhice - Da emoção das telas às lições que nós ensinamos a você) publicado originalmente na revista Claudia, edição de  Julho/82. Reportagem de Neide Martins.

(FILES): this file photo shows US actress Katharine Hepburn (R) in this 1981 Hollywood film still with US actor Henry Fonda in "On Golden Pond".  Hollywood legend  Hepburn died at the age of 96 at her home in Connecticut, media reports said Sunday, 29 June 2003. AFP PHOTO/FILES
(FILES): this file photo shows US actress Katharine Hepburn (R) in this 1981 Hollywood film still with US actor Henry Fonda in "On Golden Pond". Hollywood legend Hepburn died at the age of 96 at her home in Connecticut, media reports said Sunday, 29 June 2003. AFP PHOTO/FILES
num-lago-douradoO filme tem provocado emoções muito fortes. E, realmente, não é para menos: Num Lago Dourado (On Golden Pond) trouxe às telas um tema bem pouco comum: a aproximação da morte e o processo de envelhecimento que ameaça a felicidade de um casal, Ethel e Norman Thayer (vivido na tela por Katherine Hepburn, 74 anos, e Henry Fonda, 76 anos, ambos ganhadores do Oscar de melhor ator e atriz de 1982 pela interpretação). Ma apesar de todas as limitações impostas pela idade às suas vidas e aos seus relacionamentos, sobrevive o amor e o casal de velhos tenta tirar de sua última aventura o máximo da alegria. Entretanto, há ainda muitas lições que devemos aprender: aquelas que a família e a geriatria moderna oferecem aos mais idosos para que a felicidade seja mais duradoura. Com a palavra, quem entende do assunto: a gerontóloga Ana Perwin Fraiman.

Por um desgaste fisiológico natural ou por várias doenças, a velhice se caracteriza por uma série de cacoetes e formas de comportamento que muitas vezes torna mais difícil a convivência com os velhos. Estudos recentes comprovam que realmente, na velhice, há uma mudança de personalidade. Essa mudança é tratada pela geriatria moderna através de várias técnicas de atendimento, atividades sociais, culturais e recreativas, além de tratamentos especiais que ajudam nossos velhos a envelhecerem com mais saúde e dignidade. O mais importante é não superproteger ou menosprezar as opiniões dos velhos. Veja tudo o que você pode fazer para conviver com a velhice com muito mais amor.

Continue lendo

Alzheimer e as emoções

A qualidade dos cuidados que familiares e cuidadores dispensam têm forte impacto na saúde física e mental do idoso, especialmente quando ele já está mais vulnerável ainda.

Alzheimer
Imagem: pixabay

Muitos dos familiares não se dão conta, nem assumem que isso aconteça e outra grande parcela não acredita que suas atitudes sejam determinantes no aceleramento e agravamento das doenças de longa duração.

Veja também: Psicologia do Envelhecimento com foco na Doença de Alzheimer

Vamos ver o que têm a ver as crenças dos pais sobre suas próprias atitudes e impactos que elas podem causar nas crianças desde a mais tenra infância, com as atitudes e crenças que os filhos têm em relação aos seus pais demenciados.

Examine o quadro abaixo:

Continue lendo

O segredo de uma boa vida

CONSELHOS AOS DA MINHA GERAÇÃO E ÀS OUTRAS TAMBÉM.

Professor José Inácio Pachecão*
Em 03 de fevereiro de 2013

Estamos envelhecendo. Não nos preocupemos! De que adianta, é assim mesmo. Isso é um processo natural. É uma lei do Universo conhecida como a 2ª Lei da Termodinâmica ou Lei da Entropia. Essa lei diz que: A energia de um corpo tende a se degenerar e com isso a desordem do sistema aumenta. Portanto, tudo que foi composto será decomposto, tudo que foi construído será destruído, tudo foi feito para acabar.

Segredo de uma boa vida
Imagem: Pixabay

Como fazemos parte do universo, essa lei também opera em nós. Com o tempo os membros se enfraquecem, os sentidos se embotam. Sendo assim, relaxe e aproveite. Parafraseando Freud: “A morte é o alvo de tudo que vive”. Se você deixar o seu carro no alto de uma montanha daqui a 10 anos ele estará todo carcomido. O mesmo acontece a nós. O conselho é: Viva. Faça apenas isso. Preocupe-se com um dia de cada vez. Como disse um dos meus amigos a sua esposa: - “Me use, estou acabando!”. Hilário, porém realista.

Continue lendo