É bom amar. Mesmo sem retribuição.

Naquele quarto de hospital, onde mais uma vida se despedia em agonia, quando se espera que as verdades compareçam, sim, é isso mesmo que acontece. A verdade se pronuncia.

\"Amor

Ao pé da cama de sua irmã, Clara timidamente perguntou, você gosta quando eu venho aqui? Num fio de voz, a irmã afirmou sim, gosto. Do que você gosta em mim? Clara insistiu e a resposta, você é divertida veio sem hesitação. A gente dá risada. Gilda se divertia com as histórias de Clara. Simples assim.

Puxa, ao menos ela enxerga em mim uma qualidade, pensou. É, tenho feito bem em vir, concluiu. Alguns meses já se passavam desde que Gilda fora internada. Ali aguardava sua partida. Consciente e revoltada. Dizia não sentir medo da morte. Também não sentia dor. Queria somente ir até sua casa botar ordem nalgumas coisas e os médicos não deixavam sair do hospital. Nem do quarto. Defesas arrasadas, a doença caminhava célere ocupando um corpo que mal conseguia vencer a distância entre o leito e o banheiro.

Continue lendo

A hora CERTA de casar ERRADO

Quando no sentimos frágeis e carentes, o casamento pode parecer a solução mágica para os nossos problemas. Saiba identificar esses momentos.

Casamento triste
Casamento (Pixabay)

Casar para dividir a vida com alguém que se ama é uma experiência fascinante. Mas casar (mesmo que não seja de véu e grinalda) pode ser desastroso se a decisão for tomada precipitadamente, num momento de carência afetiva, como se fosse a solução mágica para os problemas. Portanto, é melhor ficar de antenas ligadas e perceber quando o perigo está rondando.

Sua irmã ou melhor amiga acabou de se casar: Nas duas situações você se sente rejeitada, excluída. O casamento da irmã pode despertar inveja, ciúme e mágoa porque ela vira o centro das atenções da família com os preparativos — festa, apartamento, enxoval —, e você fica com medo de que não sobre nada para você. Isso pode suscitar o desejo de casar logo para ter os mesmos privilégios.

Continue lendo

Pensem o que quiserem

O texto retrata o despertar de um idoso, que retoma sua vida, após anos dedicado a sua esposa doente. Final interessante e algo surpreendente.

\"Pensem

Casei-me uma única vez na vida. Por 43 anos fomos felizes até que a morte a tomou de mim. Levou-a embora numa noite estrelada, onde se pode imaginar de tudo, menos que a Grande Muda chegue e a carregue para o Tempo Sem Fim.

Ao fazê-lo, a primeira coisa que pensei, talvez como todos os enamorados pensem, foi e agora, o que será de mim?

Continue lendo

Dinheiro e respeito nem sempre andam juntos

De repente, trabalhar fora, ganhar o próprio dinheiro, se tornou uma verdadeira obsessão para muitas mulheres casadas.

Briga de casal por dinheiro
Imagem: Thinkstock

Elas acreditam que todos os problemas do seu relacionamento se solucionariam, como num passe de mágica, pelo simples fato de ganharem um salário. Verdade ou engano? Será que trabalhar, ter um salário, é o remédio que algumas pessoas precisam?

O meu dinheiro é meu. O dele é nosso. Quantas vezes a gente ouve essa frase dita por mulheres que trabalham, têm um bom salário e que poderiam, em caso de necessidade. dar conta da família toda? O meu e o dele apenas definem uma situarão muito comum: a de não termos a tradição de ganhar o nosso sustento e brigar para que uma carreira nos leve à independência total. Talvez por culpa da educação (nós somos preparadas para ser dependentes, eles, para nos manter), acabamos achando normal que o homem assuma o seu papel e nos dê o padrão de vida que “merecemos”. Mas, se o dinheiro falta, se ele ousa cobrar a nossa parte, se a gente suspeita de que está pagando mais do que devia, aí a situação se complica. A ilusão de que ter uma renda própria resolve todos os problemas termina em dúvida: de que adianta eu trabalhar, se nem assim ele me respeita? Mas será possível conciliar, numa boa mesmo, essas três coisinhas fundamentais que são o amor, o respeito e o dinheiro?

Continue lendo

Romance à meia idade

"Voltei a namorar com um jovenzinho: às escondidas. Se meus filhos souberem vai ser um Deus nos acuda. São moralistas e idolatram o falecido pai. Continuo ou desmancho o namoro?."

Selma Antares, Gramado (RS)

Idosa Romântica
Imagem: Shutterstock

Ana Fraiman

Mas é tão simples assim: continuo ou desmancho? E onde ficam seus sentimentos? E seu namorado, não tem voz ativa nisso tudo? Pondere junto com ele se já não é tempo de revelarem o romance ou se por enquanto vocês vão mantê-lo às escondidas. Mas enquanto houver dúvidas da sua parte e da dele, sobre a vontade de cada um conquistar essa vida em comum, a opinião dos seus filhos vai ter muita força de argumento.

Continue lendo

Quero ser independente, para salvar meu casamento

Casada há vinte anos, Nina vive um momento difícil no seu relacionamento com o marido. Ele a compara com as amigas, reclama do seu jeito de vestir, enfim, só faz críticas. Ela chegou à conclusão de que a origem do problema está no fato de ela depender financeiramente dele, como conta aqui.

Mulher Independente
Imagem: Pixabay

Depoimento à Aída Veiga

“Se me queixo da vida, minhas amigas dizem que eu sou exigente demais. Afinal, nesses vinte anos nunca me faltou nada. Me formei professora, pouco antes de casar, mas, como o Clóvis já estava bem na época, nem pensei em trabalhar. Hoje eu percebo o erro que cometi.

Continue lendo

Muito a conversar

Muito a conversar. Sem sogra, sem filhos, sem nada!

Um dia você acorda e se encara: “Quem é esse velho que me olha no espelho?” Seu nariz e suas orelhas cresceram. Há um a luminosidade clara em torno de sua cabeça.

Muito a conversar. Sem sogra, sem filhos, sem nada!
Imagem: Pixabay

Não, não se trata da aura, mas dos seus — remanescentes? — cabelos. Até seus dentes parecem maiores! E por mais que você “chupe” a barriga, ela não encolhe mais do que um tantinho. E, ainda, as custas de você perder o fôlego.

Continue lendo

Datas Especiais

“Celebrar é sonhar um sonho de total perfeição, tão vívido, que você quase chega a tocá-lo. Ao celebrarmos uma relação, afirmamos e trabalhamos arduamente para que o sonho se torne realidade.”

Datas Especiais
Imagem: Pixabay

É por isso que os casais se sentem como que envoltos e protegidos por uma bolha mágica, separados do mundo. Deu-se um encontro. Ambas as pessoas se encontram no mesmo lugar em que estão, pelo mesmo tempo que transcende o rigor do relógio. Um tempo sem tempo, que para tudo o mais, para o amor chegar e se instalar.

Um encontro que fala de futuro e de esperança, sem se dizer palavra. O melhor som brota do silêncio. A melhor luz, do brilho do olhar. Sem tal celebração, que casal pode se encontrar? Sem celebrações, que relação pode perdurar?

Continue lendo