Como usar melhor o poder da mente? O que é neuróbica?

O sucesso, na maioria das vezes, é alcançado por meio do poder que temos em nossa mente. É a ferramenta que nos conduz pela vida. É pelo poder da mente que aprendemos a ser ou que nos tornamos mais flexíveis, criativos e que encontramos as soluções para as situações que vivemos.

Por Leo Fraiman*

Neuróbica
Imagem: Pixabay

Qual é a dimensão desse poder? Como desenvolvê-lo?

Leia a seguir algumas curiosidades:

Continue lendo

Terapia em grupo para viver melhor

"Peço que vocês me indiquem um local onde eu possa fazer terapia de grupo, pois sempre achei que isso poderia me ajudar a viver melhor."

Leila Paiva Goiânia (GO)

Terapia em Grupo
Imagem: Pixabay

Ana Fraiman

Para uma pessoa viver melhor é necessário que ela torne claro para si e para os outros aquilo que ela necessita e, em contrapartida, do que ela dispõe. Um problema que é vagamente formulado praticamente não permite respostas, a não ser igualmente vaga, como é o seu caso. Não se pode indicar uma forma de tratamento específico sem conhecer a pessoa e discutir com ela o que precisamente ela apresenta, o que pretende onde e como encontrar.

Continue lendo

Velhice aos 25

O envelhecimento não é apenas um processo físico. Transformações na forma de encerar a vida também acontecem. A idade acentua as boas e as más qualidades. As más são resultados de personalidades autoritárias das pessoas, que acabam infernizando a vida dos filhos.

Jovem velho
Imagem: Pinterest

O outro lado da moeda também existe: os idosos têm um ritmo diferente que os filhos precisam compreender. Muitas vezes a irritabilidade dos idosos tem origem em doenças físicas que os filhos não conseguem identificar.

Continue lendo

Surf na Terceira Idade

Em primeiro lugar devo deixar claro que não tenho a menor familiaridade com mulheres surfistas. Nem na primeira, nem na segunda e, portanto, não na terceira idade.

Surf na Terceira Idade
Imagem: 50emais.com.br (Idosos que não têm medo dos esportes ousados)

Não tenho, sequer, familiaridade com o mundo do Surf. Uma ou outra matéria, que me remetem - por tabela - a sensações de júbilo e de liberdade, em meio às ondas, aos impactos iluminados por um sol resplandecente ou a um céu cinzento, que se prepara para despejar seu temporal.

Aprecio a determinação e o preparo daqueles que se arriscam em mares tormentosos e quando sabem se precaver em relação a ondas potencialmente assassinas.

Minha visão é romântica, ingênua e, provavelmente construída pela minha própria vontade, jamais satisfeita de conseguir ficar de pé numa prancha, sobre a qual os surfistas bailam e tecem suas peripécias acrobáticas. Meu bailar, conquanto muito hábil, belo e comovente, sempre se deu em solo.

Continue lendo

Como ter uma boa vida?

Recomendo este vídeo sobre uma pesquisa científica que estudou a vida de quase 700 homens dos 15 aos 75 anos.

Ele conclui sobre o que é mais importante na vida para envelhecer com saúde e felicidade!

Lições do mais longo estudo sobre a felicidade | Robert Waldinger

  • Psicóloga formada pela UNIP, Mestre em Psicologia Social pela USP e doutora em Ciências Sociais pela PUC-SP.
  • Pesquisadora pelo NEF - Núcleo de Estudos do Futuro, com foco no Ecossociodesenvolvimento | Cátedra Ignacy Sachs, alinhada ao United Nations Millennium Project.
  • Coaching de Carreira e Preparo para uma Aposentadoria Sustentável.

15 SEGREDOS para uma vida longa e feliz

SEGREDOS DE UM LENDÁRIO MÉDICO JAPONÊS QUE TEM HOJE, em 2016, 103 ANOS.

O Dr. Shigeaki Hinohara é conhecido por ser um dos educadores com mais anos de experiência, em seu ofício, já que desde 1941 se dedica a tratar de pacientes no Hospital Internacional St. Luke’s, em Tóquio.

Dr. Shigeaki Hinohara
Imagem: hubpages.com

Desde que completou seus 75 anos de idade este profissional publicou 15 livros, incluindo um chamado Vivendo muito, vivendo bem, que vendeu mais de 1.2 milhões de cópias em todo mundo. Como fundador do Novo Movimento da Terceira Idade, Hinohara estimula a todas as pessoas a viver vidas longas, plenas e felizes, algo em que ele parece ser perito. São estas, as chaves para sermos bem sucedidos nisso:

Continue lendo

O sentimento de felicidade aumenta com a idade

Chega de preconceito. À luz das novas pesquisas longitudinais, a relação entre idades avançadas e tristeza, acabrunhamento, não se faz presente nem constante. Achar que velho é chato e ranzinza não passa de puro preconceito.

O sentimento de felicidade aumenta com a idade

Muito pelo contrário, o que se verifica é que os mais velhos sentem-se melhor e mais em paz consigo mesmos, sabendo aproveitar mais das coisas simples da vida.

Ainda que isso possa soar meio paranoico, as pessoas realmente são mais felizes à medida que envelhecem. Ainda que muitas coisas em nossas vidas piorem com o tempo, o curioso é que em muitos aspectos as pessoas começam a se sentir melhor.

Um estudo realizado com um grupo de 1.500 participantes, com idades compreendidas entre 21 e 99 anos, realizado em São Diego, na Califórnia, Estados Unidos, constatou que as pessoas mais estressadas e deprimidas de todo o grupo eram aquelas que estavam em seus vinte anos. Da sua parte, as de noventa se mostraram mais felizes.

Os investigadores também observaram uma consistência notável em seus resultados: os mais velhos, além de se sentirem mais felizes e estarem em paz consigo mesmos, eram menos deprimidos e sofriam de menos ansiedade e estresse.

Segundo eles, isto se deve a certas qualidades que nos fortalecem à medida em que amadurecemos e envelhecemos: a empatia, a compaixão, o autoconhecimento, a abertura a novas ideias, a firmeza e a estabilidade emocional.

Outra razão que, geralmente leva pessoas mais velhas a serem mais felizes, é a sua confiança. Dois estudos em grande escala, realizados na Universidad de Northwestern e, na Universidad de Buffalo, mostraram evidências concretas ara isso.

O primeiro estudo, realizado ao longo de um período de 30 anos e com uma enorme amostra de 200.000 pessoas de 83 diferentes países e, o segundo estudo, com uma amostra bem menor, de 1.230 pessoas, distribuídas em diferentes grupos de idade, observaram haver relação estreita entre a confiança e a idade, chegando as mesmas conclusões: as pessoas se tornam mais confiantes à medida que envelhecem, o que resulta em sensação de maior felicidade.

Com a idade, há uma forte tendência a ver o lado positivo da vida e aumenta a capacidade de enxergar o melhor de cada pessoa com quem se relacionam, bem como serem mais tolerantes.

Em 2015, um estudo realizado pelo Instituto Gallup-Heathways, mapeou mais de 173.000 pessoas nos Estados Unidos. Os participantes com mais de 55 anos apresentaram um índice mais elevado de bem estar econômico. Cerca de 52% deles, também disse considerarem-se mais ‘prósperos’, em contraste com 32% dos participantes com idades abaixo dos 55 anos.

Por outro lado, os mais velhos, acima dos 55, comiam melhor, sua alimentação era mais saudável que a dos mais jovens. Ainda mais interessante foi a descoberta de que o níveis de depressão e de obesidade se reduziam drasticamente depois dos 64 anos.

Investigadores da Universidad del Noreste e o Instituto de Tecnología da Georgia realizaram estudos cognitivos e concluíram que as pessoas mais velhas tendem a se concentrar nos estímulos e nas memórias e recordações mais felizes. Acredita-se que os processos cognitivos os ajudam a regular melhor suas emoções e a enxergar a vida a partir de uma perspectiva mais positiva.

Outra diferença marcante é que os jovens buscam aventuras mais memoráveis, enquanto ao mais velhos sentem-se contentes com as coisas do seu dia a dia.

Enquanto a maioria dos mais jovens está preocupada com as coisas que vão fazer, como: férias, planos de fim de semana etc, os mais velhos gozam das coisas simples da vida, coisas que os ajudam, como ajudariam a todos, a estar em paz consigo próprios.

Texto traduzido e editado por Ana Fraiman

Fonte: TudoporEmail

  • Psicóloga formada pela UNIP, Mestre em Psicologia Social pela USP e doutora em Ciências Sociais pela PUC-SP.
  • Pesquisadora pelo NEF - Núcleo de Estudos do Futuro, com foco no Ecossociodesenvolvimento | Cátedra Ignacy Sachs, alinhada ao United Nations Millennium Project.
  • Coaching de Carreira e Preparo para uma Aposentadoria Sustentável.