Autonomia e Liberdade na Velhice

“Meus pais já passaram dos 80, mas insistem em continuar morando sozinhos. Gostaria que vivessem comigo e meu marido concorda inteiramente. Como convencê-los?”

Pergunta de Fernanda Blandino. São Paulo-SP

Ana Fraiman

Muitos filhos, com o medo de perder os pais, em futuro próximo, querem tê-los sob suas vistas, sob sua tutela, mais para sossego próprio do que em função de reais necessidades dos velhos. Indo morar com os filhos, os pais atendem ao conforto e tranquilidade destes, mas perdem a autonomia e a liberdade que têm em sua própria casa. Esta perda pode, para muitos, resultar em um quadro pior que uma doença. Como medida de preocupação, porém, pode-se mandar instalar uma linha direta de telefone, entre a sua casa e a deles, caso haja alguma emergência.

Continue lendo

Convivência doméstica

De uns tempos para cá, depois que meu marido se aposentou, estou mais “mandona”. Será a idade?

Ana Fraiman

Tornar-se “mandona” é, possivelmente, uma forma de reafirmar competências e mesmo de autoafirmação. Tem mais a ver com a insegurança que as pessoas sentem em algumas fases da vida do que propriamente com a idade. Quando os filhos crescem e começam a competir pela autoridade, quando o marido se aposenta e “invade” o território doméstico, a mulher pode se sentir ameaçada e se tornar agressiva. Só o fato de você perceber essa atitude e um bom caminho para solucionar problemas de convivência doméstica. Seria interessante descobrir o que, exatamente, a desagrada ou do que você vem sentindo medo.

Continue lendo

Presença familiar

Desde que ficou doente, meu avô (que tem 71 anos) exige a presença da família a sua volta. Ele está fazendo chantagem?

Ana Fraiman

A reação de seu avô é muito natural. Ele procura renovar e reafirmar o envolvimento com as pessoas, especialmente as mais queridas. O que é indício de vontade de ficar bom e não se entregar. Se ele quer que os outros venham até ele, talvez seja porque ainda se sinta frágil para essa iniciativa.

Continue lendo