Trabalho na Adolescência

Falar sobre trabalho e emprego em plana adolescência não é cedo demais?

Os jovens não estão tendo sua juventude roubada pela pressa dos pais? Quando se deveria iniciar esse processo?

*Por Leo Fraiman

Trabalho na Adolescência

Os jovens se sentem muito agradecidos quando têm alguém que fale a eles sobre como conseguir seu espaço no mundo. Muitos já começam a trabalhar durante a faculdade ou mesmo durante o ensino médio, seja em um trabalho voluntário, na animação de festas infantis ou como vendedores de fim de ano em uma loja de roupas.

Se a preparação para a entrada no mercado de trabalho for feita aos poucos, com cursos de capacitação condizentes com a idade escolar e com as possibilidades de cada aluno, a passagem da adolescência para a vida adulta pode ser feita de modo mais seguro e suave.

Em muitas empresas, no processo de seleção para um estágio, a primeira linha que se olha no currículo é a de cursos extracurriculares.

Os pais e os educadores devem ajudar os jovens a refletirem como um todo: nos aspectos cognitivos, sociais, comportamentais e emocionais. Tudo conta.

Quando se concorre a um estágio, diversos aspectos são relevantes e muitos deles não se formam de um dia para o outro, ao contrário, se a formação for feita ao longo de anos, pode ser muito melhor implantada. A partir do 9º ano do ensino fundamental, muitos jovens já conseguem perceber a importância de se preparem para o futuro, com trabalhos temporários, cursos de formação diversos, línguas e outras atividades. Em outros países, o trabalho nas férias também já é bastante comum.

*Referência: FRAIMAN, Leo. Projeto de Vida: 100 dúvidas. 1ª edição. São Paulo: Editora Esfera, 2013. [saiba+]

 

  • Psicóloga formada pela UNIP, Mestre em Psicologia Social pela USP e doutora em Ciências Sociais pela PUC-SP.
  • Pesquisadora pelo NEF - Núcleo de Estudos do Futuro, com foco no Ecossociodesenvolvimento | Cátedra Ignacy Sachs, alinhada ao United Nations Millennium Project.
  • Coaching de Carreira e Preparo para uma Aposentadoria Sustentável.

Qual é o perfil dos alunos que são aprovados nos vestibulares mais concorridos?

Uma série de fatores entram em questão quando se pensa em uma aprovação em um vestibular altamente exigente. O que conta, em primeiro lugar, é a formação ao longo de toda a vida escolar (desempenho no Ensino Infantil, no Fundamental e no Médio).

Por Leo Fraiman*

Qual é o perfil dos alunos que são aprovados nos vestibulares mais concorridos?
Imagem: Pixabay

Há outros aspectos que também são relevantes para que a sua formação seja bem-sucedida. Pesquisas de âmbito nacional indicam o perfil dos jovens que geralmente costumam ser aprovados nos vestibulares de universidades conceituadas.

Continue lendo

Psicologia é profissão para problemáticos?

Não se deixe pegar por pessoas que comentam que “o mercado está saturado”, “psicologia não dá dinheiro” ou que “só faz psicologia quem é problemático”.

Uma das principais piadinhas é que só vai cursar psicologia quem tem problema. Que são os problemáticos. Assista o vídeo e entenda melhor alguns dilemas, mitos e verdades enfrentados por quem segue ou pretende seguir carreira em psicologia.

Inscreva-se no Canal Ana Fraiman no Youtube para não perder nossos conteúdos em vídeo: 

 
  • Psicóloga formada pela UNIP, Mestre em Psicologia Social pela USP e doutora em Ciências Sociais pela PUC-SP.
  • Pesquisadora pelo NEF - Núcleo de Estudos do Futuro, com foco no Ecossociodesenvolvimento | Cátedra Ignacy Sachs, alinhada ao United Nations Millennium Project.
  • Coaching de Carreira e Preparo para uma Aposentadoria Sustentável.

Como elaborar o meu currículo, mesmo sem ter experiência?

Muitas empresas, quando abrem vagas para estágio, nem sempre precisam que o jovem já venha “pronto”, nem esteja super-preparado.

Por Leo Fraiman*

Em alguns casos, elas preferem exatamente a falta de experiência, pois assim não se tem tantos vícios comportamentais”. Desse modo os jovens podem ser mais facilmente adequados à cultura organizacional.

Continue lendo

5 dicas para não desistir da faculdade

O índice de desistência em alguns cursos universitários, principalmente nas instituições particulares, chega a 50% nos dois primeiros anos.

Dicas para não desistir da faculdade

Isso ocorre por uma séria de fatores: não gostar do sistema da universidade, não se entrosar com os colegas de classe, não estar suficientemente amadurecido para seguir uma vida universitária, desencantar-se com o curso e até motivos financeiros.

Vale a pesa seguir o quadro de dicas abaixo antes de pensar em desistir da faculdade ou de qualquer outro curso:

Continue lendo

O que NÃO fazer para receber zero numa prova.

O que NÃO fazer para receber zero numa prova.

  1. Em primeiro lugar, não falte.
  2. Em segundo, se faltar, apresente justificação e, formalmente peça reposição.
  3. Estando presente: não faça o movimento de control v control d. Não importa se da prova do colega ao lado. Ou de um texto pesquisado. Professores são teimosos e têm os olhos treinados para pegar esse tipo de coisa.
  4. No caso de ser permitido fazer pesquisa durante a prova, identifique o trecho copiado, colocando as referências: autoria do texto, obra, site onde localizá-lo etc.
  5. Não passe cola abertamente, achando que está com a bola toda. Professores são teimosos e treinados para punir quem dá e quem pede cola, igualmente.
  6. Pelo amor de Deus!!! Identifique a sua prova. Coloque seu nome, curso, turma, matéria/ disciplina, nome do professor, da instituição, do ano. E mais pelo amor de Deus ainda: assine a sua prova!
  7. Não seja estúpido com o professor ou professora. Professores são teimosos e treinados para dar zero com louvor para os malcriados e, por último,
  8. Jamais entregue uma prova em branco. Ao menos 0,25 você tira quando esteve presente.
  • Psicóloga formada pela UNIP, Mestre em Psicologia Social pela USP e doutora em Ciências Sociais pela PUC-SP.
  • Pesquisadora pelo NEF - Núcleo de Estudos do Futuro, com foco no Ecossociodesenvolvimento | Cátedra Ignacy Sachs, alinhada ao United Nations Millennium Project.
  • Coaching de Carreira e Preparo para uma Aposentadoria Sustentável.