Dar lugar para os mais jovehs

Realização e Satisfação. Dar lugar para os mais jovens?

Há pessoas que confundem satisfação com realização pessoal. Relutam em se dizer realizadas porque sempre há algo por fazer.

Dar lugar para os mais jovehs

E, de fato, nos sentimos mais animados quando há um projeto pela frente. Por melhor que tenha sido nosso desempenho e até porque somos capazes e inteligentes, logo queremos mais.

A realização é a concretização de sonhos e a satisfação é o preenchimento da necessidade de auto-reconhecimento. Se não ocorre uma ou outra, a pessoa não se apropria de seus feitos, fica vazia, como que desprovida de seus méritos e valores. Só vê o que ainda não conseguiu. Não percebe riqueza nas experiências das quais participa, das oportunidades que a sua busca desencadeia. A chave para sair desse poço fundo e escuro é um processo de longo termo, que não diz respeito somente à própria pessoa, mas aos esforços que ela faz para ajudar os outros. É por isso que nos sentimos realizado quado nossos filhos se formam, se casam… Porque nosso sonho era o de fazer alguém feliz, vencer na vida! O mesmo quando olhamos em torno, em nossa empresa, quanto trabalho geramos a tanta gente. É nossa contribuição ao bem-estar coletivo.

A grande diferença entre realização profissional e satisfação é que a realização diz respeito ao cumprimento de propósitos e a satisfação à conquista de metas e objetivos.

A grande diferença entre realização e satisfação é que a realização diz respeito ao cumprimento de propósitos e a satisfação à conquista de metas e objetivos. Os propósitos se expressam melhor na atitude de servir, de ajudar o outro a conseguir sucesso. As metas e objetivos se expressam na atitude de buscar algo para si. Não devemos, porém, imaginar que uma atitude é melhor que outra. Há contextos onde se deseja, ou se aplica, uma coisa ou outra. Até porque não se chega à realização sem provar da satisfação. Quando fracassamos num objetivo é frustrante. Mas quando perdemos a noção da finalidade começamos a achar que viver é muito difícil! Facilita quando, além de nós mesmos, encontramos razões excelentes para prosseguir. Por exemplo, pelos outros!

Na maturidade, quando os filhos crescem, a família se transforma, os pais vão embora, o corpo reclama por mais cuidados e o trabalho… Ah! Quando o trabalho muitas vezes nos é arrancado das mãos, ou temos que começar tudo de novo, a revisão das metas e dos propósitos de vida é essencial.

Como meta, pensar na aposentadoria. Seguro-saúde, equilíbrio financeiro, ocupação pessoal através de um novo trabalho, ou de lazer, buscar meios de obter mais satisfação. Como finalidade ou propósito, preparar-se para crescer. Uma jornada diferenciada, menos afoita, mais justa e cooperativa, menos rígida ou exclusivista, sem tanto estresse.

É aqui que aprendemos que “dar espaço aos mais jovens” não é perder terreno, sair da linha, mas assumir a atitude desprendida de ajudá-lo a seguir carreira, a alçar voo. Instruí-los na arte de uma profissão, confiar neles. Repassar o conhecimento adquirido, treiná-los e apoiá-los em suas próprias experiências, na constituição de suas novas famílias.

Isso é realização, grandeza de caráter. É não parar, mas ajudar a prosseguir. Não simplesmente ceder, mas tratar de continuar, buscar se realizar. Agora de maneira diferente, mais experiência.
“A realização é um processo de longo termo, que não diz respeito somente à própria pessoa, mas aos esforços que ela faz para ajudar os outros.”

Drª Ana Fraiman
Revista PHARMACIA – Maio 1996

Contatos: 11 3813-5311 | 9.9391-3236 | ana@fraiman.com.br

É Difícil, Demorado, Custa Caro e Dói.

Minha memória está falhando. Minha cabeça já não é mais tão ágil como antigamente. Gostava de ler. Ficava lá, sentado numa poltrona ou numa rede à sombra por horas. Em tardes de domingo e noites de insônia devorava bons livros.

Idoso Triste

Já não consigo mais dormir pouco e acordar disposto. Problemas que antes me desafiavam agora se tornaram fonte de aborrecimentos diários. Quando minha secretária chega para despacharmos dá vontade de gritar com ela e sair correndo.

Noutro dia me percebi chorando à toa, sem nem saber por que. Foi algo que alguém apontou, no nosso balanço, que me desestabilizou. O que eu levava como meras opiniões de caráter genérico agora eu as tomo por afronta pessoal.

Continue lendo

Broche para casamento

Já que ela é uma hipócrita, também posso ser.

Eu assumo. Não gosto da moça que meu filho escolheu. Muito tosca. Não sei o que ele viu nela. Só imagino. Cara de safada.

Broche para casamento

Os homens só querem isso. Deve ter lá, suas qualidades, mas que eu não vejo, não vejo. Os modos dela – sabe - não estão à altura dos nossos amigos. Não que eu aceitasse somente uma grande herdeira, mas uma mulher de projeção, bem relacionada, que abrisse portas para ele. Veja bem. Nós somos uma família de empresários.

Meu marido, por exemplo. Ele mesmo nunca estudou. Mas eram outros tempos. Não precisou de faculdade, não tem finesse. Mas é uma pessoa correta. Quem era trabalhador conseguia as coisas. Honesto. Cabeça boa para negócios. Claro que molhava as mãos dos fiscais. Quem não molhava? É um homem dedicado aos negócios e à família. Tudo que ele faz é pela família. A mim, por exemplo, ele nunca me deixou trabalhar. Tem um princípio: mulher minha não precisa botar dinheiro em casa. Eu banco tudo.

Continue lendo

É bom amar. Mesmo sem retribuição.

Naquele quarto de hospital, onde mais uma vida se despedia em agonia, quando se espera que as verdades compareçam, sim, é isso mesmo que acontece. A verdade se pronuncia.

\"Amor

Ao pé da cama de sua irmã, Clara timidamente perguntou, você gosta quando eu venho aqui? Num fio de voz, a irmã afirmou sim, gosto. Do que você gosta em mim? Clara insistiu e a resposta, você é divertida veio sem hesitação. A gente dá risada. Gilda se divertia com as histórias de Clara. Simples assim.

Puxa, ao menos ela enxerga em mim uma qualidade, pensou. É, tenho feito bem em vir, concluiu. Alguns meses já se passavam desde que Gilda fora internada. Ali aguardava sua partida. Consciente e revoltada. Dizia não sentir medo da morte. Também não sentia dor. Queria somente ir até sua casa botar ordem nalgumas coisas e os médicos não deixavam sair do hospital. Nem do quarto. Defesas arrasadas, a doença caminhava célere ocupando um corpo que mal conseguia vencer a distância entre o leito e o banheiro.

Continue lendo

A hora CERTA de casar ERRADO

Quando no sentimos frágeis e carentes, o casamento pode parecer a solução mágica para os nossos problemas. Saiba identificar esses momentos.

Casamento triste
Casamento (Pixabay)

Casar para dividir a vida com alguém que se ama é uma experiência fascinante. Mas casar (mesmo que não seja de véu e grinalda) pode ser desastroso se a decisão for tomada precipitadamente, num momento de carência afetiva, como se fosse a solução mágica para os problemas. Portanto, é melhor ficar de antenas ligadas e perceber quando o perigo está rondando.

Sua irmã ou melhor amiga acabou de se casar: Nas duas situações você se sente rejeitada, excluída. O casamento da irmã pode despertar inveja, ciúme e mágoa porque ela vira o centro das atenções da família com os preparativos — festa, apartamento, enxoval —, e você fica com medo de que não sobre nada para você. Isso pode suscitar o desejo de casar logo para ter os mesmos privilégios.

Continue lendo

sexo na menopausa

Sexo na Menopausa

"Sempre ouvi dizer que à medida que a mulher envelhece diminui seu apetite sexual. Mas comigo tem sido bem diferente: desde a menopausa sinto uma vontade e um desejo maior. Isso é normal?"

Maria Cristina, Rio Branco (AC)

sexo na menopausa

Ana Fraiman

As mulheres de mais idade foram educadas para acreditarem que sexo é feio e pecaminoso, sujo e indesejável. Especialmente depois de certa idade. Some-se a isso o fato de que também os homens tiveram a cabeça feita para acreditarem que certas práticas não deveriam ser feitas com a santa-mãe-esposa, mas só com as “outras”, as que não prestavam. Na cabeça deles, havia as moças para casar e as moças para aproveitar, outro fator gerador de insatisfação e desencontros.

Continue lendo

Não gosto muito de ler. Como faço para ler melhor?

Pensar que, no seu futuro profissional, você poderá abrir mão da leitura é uma grande ilusão que pode contar para si mesmo.

Como faço para gostar de ler?
Como faço para gostar de ler? (Imagem: Pixabay)

Na prática, cada vez mais comprova-se que os profissionais de sucesso são aqueles que conseguem ter boa imaginação, criatividade, dominam cultura geral e têm pensamento ágil, sistemático, além de uma boa organização de ideias. A leitura é um excelente exercício para desenvolver tudo isso e turbinar a mente.

Continue lendo

Pensem o que quiserem

O texto retrata o despertar de um idoso, que retoma sua vida, após anos dedicado a sua esposa doente. Final interessante e algo surpreendente.

\"Pensem

Casei-me uma única vez na vida. Por 43 anos fomos felizes até que a morte a tomou de mim. Levou-a embora numa noite estrelada, onde se pode imaginar de tudo, menos que a Grande Muda chegue e a carregue para o Tempo Sem Fim.

Ao fazê-lo, a primeira coisa que pensei, talvez como todos os enamorados pensem, foi e agora, o que será de mim?

Continue lendo