A idade da Velhice

"Afinal de contas, quando podemos dizer que uma pessoa é velha? Há tantos jovens sem ânimo para nada e tantas pessoas de idade cheias de energia, que as vezes fico confusa. "

Luciana, são Paulo (SP)

Idade da Velhice
Imagem: shutterstock

Cara Luciana, existem vários conceitos sobre qual é a idade da velhice: o cronológico, o social, o biológico e o existencial. O que conta mesmo é a idade psicológica, aquela em que a pessoa se reconhece como velha, mas não necessariamente adota comportamentos estereotipados de velhos (Rabugice, rigidez, manias etc). É a idade em que os anos são sentidos como “valor” e não como “peso” como conquista e não como derrota, apesar das perdas inevitáveis.

Continue lendo

Tremores da idade

Tremores da idade

Texto retirado do artigo original (Velhice - Da emoção das telas às lições que nós ensinamos a você) publicado originalmente na revista Claudia, edição de  Julho/82. Reportagem de Neide Martins.

Tremores da Idade
Imagem: Pixabay

Ocorrem por um estado de saúde comprometido num organismo mais desgastado, com menos tonicidade onde as articulações não respondem já completamente. Então, a caligrafia pode ser trêmula por um problema de motricidade fina. A voz pode tornar-se trêmula por um problema respiratório. O andar pode ser oscilante por alterações da propriocepção (a sensibilidade dos nossos órgãos internos quando há debilitação por envelhecimento. Isto faz perder uma parte da sensibilidade de tal forma que, ao segurar um copo de água, o velho tende a enrijecer a musculatura para dar mais força e não deixar o objeto cair ocasionando um leve tremor).

Continue lendo

É verdade que a escolha profissional é a mais importante da vida?

A escolha profissional é uma das mais importantes. Porém, que sentido seria uma vida com sucesso profissional sem amor? A escolha amorosa pode ser considerada tão importante quanto a definição da carreira.

Por Leo Fraiman*

Escolha profissional
Imagem: Pixabay

Sem dúvida, a escolha profissional é muito importante porque dela virá o seu sustento, algumas de suas realizações, uma parte do seu crescimento e do desenvolvimento pessoal. Além disso, é com essa escolha que você pode dar sua contribuição para o avanço da sociedade como um todo. Por todas essas razões, é que podemos encontrar pessoas muito felizes com a vida profissional, que sentem um verdadeiro prazer no seu dia a dia.

Continue lendo

Casais idosos – brigas sem desamor

"Meus pais nunca se entenderam muito bem, mas foram levando... Já fizeram bodas de ouro, o que ninguém entende, porque mais parece que eles se odeiam! Um só reclama do outro e, quando vamos lá, dá vontade de ir embora em seguida. É só briga. Com isso eles afastam todo mundo e depois reclamam do abandono. O que fazer? Não é melhor separá-los? Pensamos em levar cada um para casa de um dos filhos. Falamos com eles sobre isso e disseram que nós estamos doidos. E agora?"

Maria José Vieira, Campinas (SP)

Briga entre idosos
Imagem: bestofweb.com.br

 

Todos os casais têm uma dinâmica própria no seu relacionamento. Por vezes é um quadro patológico, pelo desgaste e insatisfação que gera para o próprio casal e para os que com ele convivem. Muito difícil alterar isso depois de tanto tempo. Veja que, para eles essa foi a acomodação encontrada e, quando vocês interferem, eles se unem.

Embora seja desesperador estar junto de seus pais, devem acontecer momentos mais amenos e até de entendimento entre os dois, que ninguém tem direito de podar.

Para você os outros filhos e netos fica a angústia de ter de abrir mão das imagens ideais sobre família e aceitara realidade dos fatos ou, quanto muito, sugerir alternativas, atividades, programas etc.

Continue lendo

Lições para um envelhecimento feliz

Estudos recentes comprovam que realmente, na velhice, há uma mudança de personalidade. Essa mudança é tratada pela geriatria moderna através de várias técnicas de atendimento, atividades sociais, culturais e recreativas, além de tratamentos especiais que ajudam nossos velhos a envelhecerem com mais saúde e dignidade.

Texto retirado do artigo original (Velhice - Da emoção das telas às lições que nós ensinamos a você) publicado originalmente na revista Claudia, edição de  Julho/82. Reportagem de Neide Martins.

(FILES): this file photo shows US actress Katharine Hepburn (R) in this 1981 Hollywood film still with US actor Henry Fonda in "On Golden Pond".  Hollywood legend  Hepburn died at the age of 96 at her home in Connecticut, media reports said Sunday, 29 June 2003. AFP PHOTO/FILES
(FILES): this file photo shows US actress Katharine Hepburn (R) in this 1981 Hollywood film still with US actor Henry Fonda in "On Golden Pond". Hollywood legend Hepburn died at the age of 96 at her home in Connecticut, media reports said Sunday, 29 June 2003. AFP PHOTO/FILES
num-lago-douradoO filme tem provocado emoções muito fortes. E, realmente, não é para menos: Num Lago Dourado (On Golden Pond) trouxe às telas um tema bem pouco comum: a aproximação da morte e o processo de envelhecimento que ameaça a felicidade de um casal, Ethel e Norman Thayer (vivido na tela por Katherine Hepburn, 74 anos, e Henry Fonda, 76 anos, ambos ganhadores do Oscar de melhor ator e atriz de 1982 pela interpretação). Ma apesar de todas as limitações impostas pela idade às suas vidas e aos seus relacionamentos, sobrevive o amor e o casal de velhos tenta tirar de sua última aventura o máximo da alegria. Entretanto, há ainda muitas lições que devemos aprender: aquelas que a família e a geriatria moderna oferecem aos mais idosos para que a felicidade seja mais duradoura. Com a palavra, quem entende do assunto: a gerontóloga Ana Perwin Fraiman.

Por um desgaste fisiológico natural ou por várias doenças, a velhice se caracteriza por uma série de cacoetes e formas de comportamento que muitas vezes torna mais difícil a convivência com os velhos. Estudos recentes comprovam que realmente, na velhice, há uma mudança de personalidade. Essa mudança é tratada pela geriatria moderna através de várias técnicas de atendimento, atividades sociais, culturais e recreativas, além de tratamentos especiais que ajudam nossos velhos a envelhecerem com mais saúde e dignidade. O mais importante é não superproteger ou menosprezar as opiniões dos velhos. Veja tudo o que você pode fazer para conviver com a velhice com muito mais amor.

Continue lendo